3 fatos que você precisa saber sobre as enchentes

Enchente de Eugenópolis em 2018 retirado de http://hojeemdia.com.br/

Na semana do Dia Mundial da Água em que as Organizações das Nações Unidas (ONU) destacam que, para resolver os problemas hídricos precisamos de soluções pautadas no meio ambiente, nos deparamos com várias episódios de enchentes nas cidades da Zona da Mata mineira na última semana.

Realmente, desde de muito antes da época da composição da música “Águas de Março”, por Tom Jobim em 1972 as enchentes já faziam parte da rotina de muitas cidades mineiras. Afinal… “são as águas de março fechando o verão” não é mesmo?

Desde de que a chuva é chuva ela sempre cai no mesmo volume ao longo dos anos como sempre caiu, assim a gente a aprendeu na escola no ciclo da água lembra? Se não lembra, assista esse vídeo. O que podemos observar é que às vezes ela cai mansa em uns meses, falta em outros e em alguns momentos, como dizem nós mineiros, cai um “toró d’água” de uma vez só!

Fonte: WWF retirado de https://www.biotadofuturo.com.br/801-2/

Mas você sabe porque as enchentes acontecem nas cidades?
Será que a culpa pelas fortes chuvas vem do céu ou da Terra?
Bem, acho que você já deve ter respondido que o problema são dos seres humanos, esses mesmo!! Aqueles que por definição são seres racionais, não foi isso?
Acho que você acertou!

Algumas justificativas muito usadas por muitas pessoas é que as enchentes acontecem por:

  1. Acúmulo de lixo nos bueiros jogados pelos seres humanos, impedindo o escoamento da água;
  2. Construção das casas dos seres humanos em lugares indevidos como margens de rios;
  3. Muito asfalto cobrindo tudo “pra tudo quanto é lado”. Necessidade criada pelos seres humanos para uma vida confortável (com enchentes).

Ahh “danadim” desses tal seres humanos hein?!

Todas as justificativas usadas acima não deixam de ser verdade, mas vou te contar 3 novos fatos que você ainda não deve ter pensado sobre as enchentes!
Vamos começar!

  1. A mata que deveria haver nos topos de morro para segurar a água que desce com tudo ladeira abaixo, não existe mais;
  2. Mineradoras, hidrelétricas e grandes indústrias, que para suprir nossa demanda, desviam os cursos naturais de rios inteiros, fazem barreiras em outros e ainda poluem os que sobram, impactam severamente o comportamento do clima e fazem com que as chuvas fiquem a cada ano mais desordenadas;
    E agora pasmem…
  3. Grande parte da cobertura dos solos, que antes era floresta, hoje é coberto por capim braquiária, que funcionam como uma capa que impede que água infiltre, fazendo que a água escoe para as partes baixas onde geralmente se encontram os rios que se enchem com mais rapidez e inundam as cidades que não tem estrutura capaz de prever o que vem do alto das zonas rurais que os cercam.

Duas realidades: de um lado do rio a floresta que Iracambi ajudou a construir, do outro lado, pasto de braquiária.

Mas não desanime, tem muita gente trabalhando para melhorar esta história, umas das entidades mais importantes da Zona da Mata é a nossa ONG Iracambi que, há 18 anos vem trabalhando para reflorestar os topos de morro em torno do Parque Estadual Serra do Brigadeiro.

Trabalhamos com um projeto chamado Floresta para Água que refloresta gratuitamente áreas de recarga hídrica dos produtores rurais cadastrados nos municípios de Rosário da Limeira e distrito de Belisário.

Trabalho de reflorestamento de áreas de recarga hídrica. Esse pasto daqui uns anos vai ser floresta.

Cuidar da água é nossa obrigação! Por enquanto só temos este planeta para viver, precisamos dele por muitos anos em condição de nos manter vivos! Participe dos nossos projetos, sejam um voluntário, um doador ou um entusiasta na defesa do nosso recurso mais valioso.

Rio cristalino dentro de Iracambi. Aqui nós fazemos a nossa parte!

Vem aí o Fórum Mundial das Águas em Brasília, vamos ficar atentos às notícias que irão sair de lá! Enquanto isso, aproveite para pensar em uma coisa…

O que você pode fazer agora para o meio ambiente para que a água seja abundante no futuro?

Enquanto você pensa na resposta eu vou ali tomar um banho de riacho, porque na nossa água a gente cuida e aproveita!

Poço do Bambu, quando a gente cuida em pouco tempo já podemos colher os resultados.

Marina Fersí
Diretora Geral

0