Rodeado por verde vibrante

Nós já tínhamos colocado nossos pés nas ruas das grandes cidades da América do Sul – Buenos Aires, Montevidéu e Rio, mas agora estávamos rodeados de um verde vibrante (cada sombra) e ruídos de insetos, pássaros e sapos.

Virgílio foi o primeiro da coleção colorida da equipe de Iracambi que conhecemos, ele nos deu uma calorosa recepção e café fresco. Ele é uma fonte de conhecimento e nos forneceu uma compreensão do excelente trabalho que acontece em Iracambi. Chegamos a um acampamento que era composto de duas coisas principalmente; primeiro a floresta, e, em segundo lugar, as pessoas.

Depois de nos dar muito tempo para nos instalar, o coordenador de voluntários José Luiz nos apresentou uma lista de projetos para colocarmos nossos dentes. A ideia parece ser: se você quer fazê-lo, vá e faça. Iracambi é um refúgio para quem tem um projeto em mente. Se você deseja fazer um estudo das aranhas nesta região da Mata Atlântica, coletar dados sobre a qualidade da água, fornecer uma série de oficinas para escolas que educam sobre a importância da conservação, então aqui é um lugar onde isso é possível.

Enquanto você pode estabelecer seu próprio projeto, também há objetivos e ambições permanentes do centro. Um projeto principal em Iracambi é chamado de “Florestas para Água“. Fagner é chefe do viveiro de árvores e criou uma floresta em miniatura com enorme potencial. Milhares de mudas alinhadas de forma ordenada, prontas para serem entregues aos fazendeiros locais para plantar em suas terras. A ideia é reflorestar partes de suas terras para aumentar o fluxo de água no solo e ajudar a ressuscitar os recursos hídricos que foram perdidos. Nós gostamos de ajudar com este projeto e entregar as mudas nas fazendas locais.

Outra área onde achamos que poderíamos ajudar foi tentando reviver a horta. Elise, uma adorável voluntária holandêsa, nos mostrou por onde começar. Limpamos o bosque e cavamos e plantamos nos canteiros. Com um pouco de amor e sorte, durante os meses de verão muitas cenouras, beterrabas e quiabo podem ser encontrados a caminho da mesa de Iracambi.

As trilhas em torno de Iracambi são uma maneira de acessar a selva densa e vibrante e passamos muitas horas felizes ajudando a manter as rotas. Tom pegou a trilha alta uma tarde para acampar em um belo local de floresta relativamente intocada. Embora ele tenha ouvido muitos ruídos naquela noite, não houve encontros noturnos com pumas.

Outro dos nossos projetos favoritos nos permitiu explorar as trilhas de forma mais completa. Mais uma vez, com Elise nos guiando, estabelecemos armadilhas de câmeras em torno das trilhas. Infelizmente, só conseguimos capturar o movimento de vacas, alguns cachorros e a cauda do que provavelmente era um coati, um tipo de criatura sul-americana de guaxinim. No entanto, o trabalho que José Luiz colocou nos últimos meses mostrou-nos o potencial. Ele havia capturado fotos de muitos animais, incluindo uma jaguatirica não muito distante do centro, e nos anos anteriores um puma foi fotografado na trilha alta.

Nós nos encontramos com os restos frescos e meio comidos de uma cobra grande na trilha alta, mas não conseguimos filmar ou descobrir o que estava se alimentando dela.

A floresta é um lugar deslumbrante para explorar, e às vezes o som dos insetos, pássaros e sapos pode ser quase irresistível. Para nós, os europeus, a visão de muitas espécies desconhecidas de animais pode ser confusa, mas a bióloga residente Marina nos ofereceu muito generosamente seu livro de pássaros, bem como seu próprio conhecimento para nos ajudar a decifrar os incontáveis ​​pequenos pássaros coloridos que vimos.

Robin foi gentil o suficiente para nos dar um passeio pela área em seu Land Rover uma manhã, e nós aprendemos sobre planos passados ​​e futuros para Iracambi, que ele ainda é obviamente muito apaixonado.

Acostumar-se a compartilhar acomodações com aranhas mortais tem seus desafios, mas isso acrescenta ao caráter de viver em uma floresta tropical. O que, com os beija-flores, o som distante dos macacos, configurando armadilhas de câmeras e observando o transporte das folhas pelos exércitos incansáveis ​​das formigas, não se pode negar que a Mata Atlântica é uma maravilha natural inesquecível, que necessita desesperadamente de proteção. Estamos muito gratos por termos feito parte do trabalho de Iracambi por um curto período de tempo. Gostaríamos de agradecer muito a José Luiz, Arielle, Marina, Virgílio e João por nos fazer sentir tão bem-vindos e nos permitir compartilhar seu espaço de vida com eles e, claro, com Robin e Binka por fazerem tudo acontecer.

Emily Langdon & Tom Ball

0